Como ser extremamente, loucamente, radicalmente bem sucedido! |1

O post de Alex Banayan “As 5 características das pessoas de grande sucesso” soa como uma pechincha! Basta seguir cinco dicas simples e você será bem sucedido (seja lá o que isso signifique para você).

Resumindo, estas são as 5 dicas (ou características de pessoas bem sucedidas):

  • Seja persistente,
  • Ignore as convenções,
  • Seja um “solucionador” de problemas,
  • Reduza suas horas de sono,
  • Construa bons relacionamentos!

Mas aqui a coisa pega: pode ser divertido folhear qualquer lista, mas apenas folhear listinhas de caracte­rísticas e atitudes não vai garantir sucesso no trabalho nem na vida!

Por ser esquivo (difícil de pegar), o sucesso ainda requer muito trabalho duro e, em geral, sem graça alguma. Não apenas o trabalho diário no escritório, mas o trabalho constante para nos tornarmos pessoas mais adaptáveis​​, mais eficazes, mais atenciosas – enfim, para termos caráter.

Qualquer boa lista de dicas serve como manual de ética e costumes para ajudar as pessoas a encontrar seu “verdadeiro norte”, isto é, a desenvolver caráter. Não há segredos. Apenas horas, dias, meses e anos de persistência em fazer o que mais importa: honrar compromissos e trabalhar bem com os outros.

Stephen Covey |2 não fala sobre hábitos primários, como escovar os dentes, lavar os pratos ou chegar cedo nas reuniões. Seus “sete hábitos” são voltados à formação de caráter – são do tipo que leva tempo e exige repetição para construir, para consolidar as coisas certas até que se tornem arraigadas em nosso ser – atingindo o que Aristóteles chamou de “equilíbrio estável da alma”.

Para Aristóteles, o sucesso na vida resulta do alinhamento de nossas ações com nossos valores, até que nossas escolhas passem a fluir naturalmente, automaticamente a partir de nosso caráter. Como tudo que vale a pena ser feito, é uma questão de prática constante, de determinação – é um segredo tão pouco romântico, tão familiar, uma manchete tão sem interesse quanto pode ser.

Concluindo: eu nada tenho contra listas, nem contra qualquer coisa que possa nos inspirar e ajudar a nos tornarmos mais bem sucedidos. Mas, na minha experiência, não existem atalhos para o sucesso.