A importância de nossos erros! |1


“Os tolos aprendem errando. Pessoas inteligentes aprendem com os erros dos tolos!” – frase atribuída a Otto Von Bismark, estadista conservador que unificou o estado alemão, no séc. 19. Ouvimos também de nossas avós que “Errar é humano. Persistir no erro é diabólico.” Ou seja, abominamos o erro e até consideramos “diabólico” voltar a errar.. Será isso verdadeiro?

Vejamos.. Nem sempre acertamos o centro do alvo e muitas pessoas bem sucedidas, famosas e inspiradoras para muitos de nós, erraram feio antes de alcançarem o tão almejado “sucesso”..

Dentre elas, as mais citadas: Abraham Lincoln foi quatro vezes candidato a presidente dos EEUU até se eleger; Henry Ford faliu diversas empresas que criou antes de criar a Ford Motor Company; Bill Gates e Paul Allen, antes de fundar a Microsoft, faliram a sua primeira empresa.

Walt Disney e Oprah Winfrey foram considera­dos inadequados para as careiras que pretendiam seguir, respectivamente, a de cartunista e a de apresenta­dora de TV!

J. K. Rowling, autora de Harry Potter, que vendeu mais de 400 milhões de exemplares mundo a fora, teve seus manuscritos recusados por diversas editoras e vivia do “Bolsa Família” inglês quando, finalmente, publicou o primeiro volume da série.

Peter Guber, CEO da Sony nos anos 90, cujas diversas tentativas para comprar equipes de futebol americano “falharam” durante 15 anos, até ele conseguir o controle acionário do Los Angeles Dodgers.

E, por fim, Steve Jobs, demitido pelo Conselho de Administração da própria empresa, a Apple, para onde voltou anos depois para soergue-la e torná-la a mais valiosa na Bolsa de Nova York.

Temos, naturalmente, casos semelhantes como estes no Brasil, mas os envolvidos preferem não comentá-los. Divulgá-los então...

Merece destaque ainda a atitude de Thomas Edison, criador da lâmpada incandescente no final do séc. XIX, que disse, depois de suas várias tentativas frustradas: “Eu não errei! Eu identifiquei 10 mil maneiras que não funcionam!”.

Os “erros” trazem importantes lições e nos permitem aprender a sermos humildes. Afinal, só não erra quem nada faz!

Portanto, nunca desista! E estude seus erros para aprender com eles – aproveite bem todas as chances que tiver para melhorar!