Escrever e Reescrever |1


Você escreve com paixão. E reescreve com propósito. O rascunho é produzido a medida que as ideias, despreocupadamente, vão chegando e passando da cabeça para o papel. Ideias vêm de um lugar profundo no hemisfério direito do seu cérebro. Reescrever (ou editar), no entanto, não funciona bem assim...

Durante a reescrita, o seu hemisfério esquerdo começa a trabalhar, aplicando lógica àquele fluxo livre e bagunçado que você criou. Agora, a prioridade é manter apenas o que tem propósito e faz sentido com o TEMA proposto: todo o resto, mesmo se “bem escrito”, deve ser descartado.

Recomendo (1) no rascunho, usar linha dupla, deixando espaço para correções (manuais); (2) ao iniciar a reescrita, ler todo o rascunho, e (3) avaliar cada parágrafo separadamente, em uma escala de um a cinco. Todos com nota abaixo de três devem ser cortados. Aqueles com nota três devem ser relidos, reescritos ou cortados. Aceite como estão aqueles com notas quatro e cinco – só retorne a estes se o tempo estiver favorável (no sufoco, é difícil melhorar o que já está bom!). Após a reescrita, finalize – i.e., faça a marcação final dos parágrafos do rascunho para passá-los a limpo.

Reescrever é um processo mais difícil do que escrever: você aplica lógica a um esforço criativo e precisa ser implacável nos cortes. A avaliação dos parágrafos do rascunho ajuda a olhar o texto com mais objetividade. Reescrever melhora o rascunho, e pode tomar muito tempo – cuidado!